Zona Oeste e seus mistérios

Apesar dos meus pais serem cariocas, eu e meus irmãos somos todos paulistanos, born and raised com orgulho em São Paulo. Tirando os momentos em que quero largar tudo e ir morar no meio do mato – o que tem acontecido com bastante frequência nos últimos tempos -, eu amo ter nascido em SP, amo mesmo. E muitas vezes sou bem clichê; amo andar à pé no centro antigo, atravessar a Paulista na chuva (menos a esquina da Paulista com a Augusta, que está no meu top 5 de lugares que mais odeio), caminhar pela cidade no inverno, quando o vento é bem frio, mas  o sol é bem quente, gosto muito chegar de viagem à noite e poder ver o contraste entre o escuro do céu com as luzes dos prédios, olhar para cima e me sentir bem pequenininha no meio da imensidão da cidade grande.

Andar à pé pela cidade é uma das coisas que mais gosto de fazer, “caminhando contra o vento sem lenço, sem documento”, assim, que nem Caetano. Mesmo tendo tirado a carta de habilitação, o carro é de longe o meio de transporte que menos gosto. Então, acumulei anos e anos de experiência pelas calçadas da cidade. Porém, mesmo com toda a minha vivência ~das ruas~, eu nunca consegui entender muito bem a divisão dos bairros de São Paulo.

Eu moro na Zona Oeste desde bebê, e estou na casa em que moro hoje há mais de quinze anos, o que me dá uma boa vivência pelos bairros da ZO. Moro na Lapa, minha mãe trabalha em Perdizes (ou será Pompéia?), já morei na Vila Leopoldina, estudo na USP, no Butantã, frequento muito Pinheiros, fazia terapia na Dr. Arnaldo, já caminhei muito pela Vila Madalena, posso andar de olhos fechados pela Heitor Penteado e ficar ok. Posso afirmar que conheço bem grande parte da Zona Oeste paulistana, mas mesmo assim tenho muitas dúvidas. Já perguntei para várias pessoas mais entendidas de direção que eu e continuei com muitas questões. Parece mesmo que a divisão de bairros é realmente um grande mistério. Pensando nisso, separei minhas maiores questões para expor aqui.

A Zona Oeste de São Paulo é composta por três grandes bairros e cada um desses bairros são administrados por uma subprefeitura. As três subprefeituras administram toda a região. Os bairros são:

  • Lapa
  • Pinheiros
  • Butantã
download

olhem como tudo ainda parece claro e fácil de compreender

Até agora parece simples, mas com um olhar mais apurado é fácil perceber a bagunça que é essa região paulistana. Vamos começar pelo primeiro grande bairro, a Lapa.

Sou lapeana há mais de quinze anos, a maior parte da minha vida eu morei nesse bairro, mas mesmo assim tenho tantas duvidas que parece que sou recém-chegada. Minha casa, por exemplo, para alguns pode ficar situada na Vila Romana, mas é só andar poucas quadras que estamos no Alto da Lapa, ou se formos na direção contrária, posso chegar na Vila Ipojuca. A Lapa é conhecida por ser confusa. Aqui é onde as ruas fazem curvas, bifurcam, dão uma volta e permanecem sendo a mesma rua. Se eu sair de casa, descer a rua e virar à direita, estarei na Vila Romana, mas se eu seguir pela rua e virar novamente à direita, vou entrar na Vila Ipojuca, e tudo isso sem sair da mesma rua! Não é confuso? Por que não simplificar e chamar tudo de Lapa? Afinal, a Vila Romana é nada mais do que um conjunto de ruas cujos nomes tem alguma relação com o Império Romano, por exemplo: a rua Tito, rua Coriolano, rua Crasso, Espártaco, Aurélia e por aí vai. Mas o nome da minha rua não tem a menor relação com Roma, será por isso que não moro na Vila Romana? Qual será o real critério para essa divisão?

A Lapa tem outros mistérios: o Sesc Pompéia, por exemplo. Algum desavisado poderia supor que fica localizado na Pompéia, mas ele fica na rua Clélia, que ainda é Lapa. Falando em Pompéia, eu ainda não estou convencida de que esse bairro realmente exista. Para mim ele é pura invenção, obra de alguma teoria da conspiração. Metade dele é Lapa e a outra metade é Perdizes, Pompéia mesmo é só o nome da avenida.

mapasaopaulo21

Zona Oeste: não vejo nenhum bairro chamado Pompéia!

Logo após o Sesc Pompéia, a rua Clélia acaba e começa a Avenida Francisco Matarazzo, que vai até o Elevado e a São João. Mas antes do centro, a Francisco Matarazzo ainda é Zona Oeste, mas em que bairro que ela fica? É Barra Funda? Água Branca? Afinal, Água Branca é realmente um bairro ou só o nome daquele parque? Em alguns lugares a Barra Funda é classificada como centro de São Paulo, mas deve ser apenas intriga da oposição, espero.

Um dia estava no carro com meu pai, estávamos na rua Heitor Penteado, a caminho da Paulista e eu perguntei: “Pai, que bairro que fica essa rua?” e ele respondeu: “Sei não filha, acho que é Sumarezinho”. Sumarezinho? O que diabos é Sumarezinho?? Fui pesquisar: aparentemente, Sumarezinho é um bairro do distrito de Pinheiros e por alguma razão do destino, é onde fica a estação de metrô da Vila Madalena. Não, meus queridos, o metrô Vila Madalena não fica na Vila Madalena, e sim no bairro de Sumarezinho!

argh

aaaaaaaaaah isso não faz sentidooooooooo!

Já que eu falei em Vila Madalena, eu tenho as minhas dúvidas quanto esse bairro. Reduto do ~cool~, de jovens alternativos, dos barzinhos bacanas, point do carnaval paulistano, das baladas lowkey, etc e tal, a Vila Madalena às vezes me parece ser que nem a Pompéia, fruto de alguma conspiração zona-oestiana para dificultar a locomoção pela região. Eu posso até estar exagerando, mas na maioria das vezes em que eu acho que estou na Vila Madalena, na real eu estou em Pinheiros. Sério, qual é a fronteira entre os bairros? É tão estreita a linha divisória entre eles que eu sempre atravesso sem perceber? Voto por placas “Bem Vindo à Vila Madalena”, só para poupar o estresse.

Vou preservar vocês da dor de cabeça que é Vila Ida (e volta), Vila Anastácio, Vila Beatriz, Vila Hamburguesa, Parque da Lapa, Alto da Lapa, City Lapa, Alto de Pinheiros, e por aí vai, infinitamente.

Quero terminar o post com um apelo: se alguém que leu minhas lamentações e entender melhor de Zona Oeste que eu, por favor, sinta-se livre para comentar, responder, me dar uma aula sobre o assunto. Mais do que um post, isso aqui é um desabafo de anos de dúvidas e incompreensão.

Links consultados:

 

 

Anúncios